Depois de dois anos de atritos provocados pela política boliviana de nacionalização do petróleo e do gás natural, o governo brasileiro ensaia uma reaproximação com o governo de Evo Morales. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversará ainda nesta semana com Evo. Os dois deverão acertar uma data para um encontro, em La Paz, possivelmente ainda em novembro, e abrir caminho para negociar a retomada de investimentos naquele país.

O principal interesse do governo brasileiro é de que a Petrobrás volte a investir na Bolívia, já que 50% do gás natural consumido no Brasil vem daquele país – quase 30 milhões de metros cúbicos por dia. Mas a realização de investimentos exigirá que Evo dê garantias ao governo brasileiro.

Um dos investimentos que haviam sido suspensos era a construção de um grande complexo gasoquímico na Bolívia. Segundo um ministro do Planalto, é "muito provável" que os investimentos da Petrobrás voltem a ocorrer, desde que sejam asseguradas garantias para a empresa brasileira. "A retomada dos investimentos lá é uma coisa boa para o Brasil".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo