O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, afirmou hoje que o Brasil e a China formarão um grupo técnico, menor, para intensificar as relações entre os dois países. A expectativa de Pimentel, que propôs o grupo ao colega chinês, Chen Deming, em almoço hoje, é de que os trabalhos comecem já no próximo mês.

“O ministro conhece profundamente as questões do comércio brasileiro. Sugerimos a comissão, ele aceitou e acha que as relações comerciais entre os dois países vão se intensificar muito nos próximos anos”, relatou Pimentel. “Vamos precisar de muita agilidade”, acrescentou.

O ministro brasileiro disse que, com base nas informações passadas pelo governo chinês, é possível estimar a entrada de US$ 8 bilhões em investimentos daquele país apenas este ano no Brasil. “Estamos com muitas consultas”, disse.

Segundo ele, a empresa Sany já entrou em contato com uma prefeitura do sul de Minas Gerais para investir US$ 200 milhões em uma empresa que produz máquinas e equipamentos pesados. “A companhia deve estar vindo de olho na cadeia produtiva da Petrobras, do pré-sal, pois são máquinas de grande porte e escavadeiras profundas”, citou.