As principais bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira, em resposta aos resultados de novos empréstimos na China e à forte recuperação dos preços do petróleo na quarta-feira.

Com isso, o índice Xangai Composto encerrou o dia com ganhos de 3,54%, a 3.3336,45 pontos, a segunda maior variação positiva deste ano. O Shenzhen Composto, que acompanha empresas menores, avançou 0,96%, a 1.459,69 pontos.

No início da sessão, o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) informou que os bancos chineses emprestaram 697,3 bilhões de yuans (US$ 112,5 bilhões) no mês de dezembro de 2014. Embora o resultado represente uma queda em relação a novembro e tenha vindo abaixo da expectativa do mercado, foi o maior volume para dezembro desde 2009.

Além disso, o financiamento social total, uma medida mais ampla de crédito na economia, subiu para 1,69 trilhão de yuans em dezembro, ante 1,15 trilhão de yuans em novembro. “Havia uma preocupação no mercado quanto a esses dados, mas os números que vieram ajudaram a acalmar os investidores”, disse Gerry Alfonso, diretor da Shenyin & Wanguo Securities.

Como consequência disso, as instituições financeiras registraram altas expressivas no pregão. O Bank of China avançou 6,1%, o Huaxia Bank subiu 5,9% e a Ping An Insurance fechou com ganho de 6,8%.

Outro setor que deu uma grande contribuições aos índices chineses foi o de energia, que se valorizou após os preços de petróleo fecharem em alta de 5,6% na quarta-feira, após um período prolongado de declínio. A PetroChina e a Sinopec avançaram 8,7% e 4,9%, respectivamente.

As ações negociadas em Hong Kong foram influenciadas pelo mercado de Xangai e também fecharam em alta. O índice Hang Seng subiu 0,99%, a 24.350,91 pontos. Na Coreia do Sul, o índice Kospi encerrou a sessão com ganho de 0,03%, a 1.914,14 pontos, diante da notícia de que o Banco da Coreia manteve inalterada a taxa básica de juros em 2,0% ao ano, em linha com a expectativa do mercado. Já o índice Taiex, de Taiwan, fechou com perda de 0,2%, a 9.165,09 pontos, com os investidores no aguardo por mais clareza no futuro da Europa.

Na Oceania, o índice australiano S&P/ASX 200 fechou em baixa de 0,41%, a 5.331,40 pontos, apesar da melhora no desemprego da Austrália, cuja taxa caiu para 6,1% em dezembro, de 6,2% em novembro, segundo dados divulgados pelo governo na noite de quarta-feira. Em reação à volatilidade dos preços de cobre e minério de ferro nos últimos dias, as mineradoras acumularam novas quedas. A BHP Billiton cedeu 1,1% e a Rio Tinto perdeu 2,5%. (André Ítalo Rocha, com informações da Dow Jones Newswires – andre.italo@estadao.com)