A bolsa japonesa fechou em queda nesta quinta-feira, encerrando uma sequência de quatro sessões de alta, após dados mais fracos do que o esperado no varejo dos Estados Unidos levantarem temores sobre o ritmo de recuperação da economia norte-americana.

Como resultado índice Nikkei recuou 194,48 pontos (-0,98%), aos 19.570,24 pontos.

Ontem, o Departamento do Comércio dos EUA informou que as vendas no varejo do país ficaram estáveis entre março e abril, contrariando a expectativa dos economistas, de crescimento de 0,2% no período. No mesmo período, o índice de preços das importações caiu 0,3%, quando a previsão era de alta de 0,3%, o que elevou as dúvidas quanto ao comportamento da inflação no país.

O dado fez o dólar recuar ante o iene, o que é visto como um mal sinal para as ações japonesas.

Outro fator que vem pesando sobre o ânimo dos investidores é alta dos juros dos bônus governamentais, especialmente na Europa. Quando o mercado de títulos oscila muito, “bancos podem ser obrigados a vender outros ativos de risco”, disse Eiji Kinouchi, estrategista da Daiwa Securities.

Apesar dos fatores negativos, o mercado acionário japonês ainda encontra alguma sustentação por causa dos bons balanços corporativos das empresas do país. Segundo Hideyuki Ishiguro, da Okasan Securities, muitas empresas estão apresentando fundamentos sólidos, batendo expectativas e revisando para cima estimativas de lucros para os trimestres seguintes.

Entre os destaques do mundo corporativo, as ações da montadora Nissan subiram 2,25% após a empresa revisar para cima sua expectativa de lucro para o ano fiscal que termina em março de 2016. Já os papeis da Daikin Industries subiram 3,50% após a companhia divulgar que seu lucro líquido cresceu 29% no ano fiscal que terminou em março. Fonte: Dow Jones Newswires.