O vice-presidente da Bolsa do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Kikuo Iwata, disse hoje que o BC japonês está a caminho de atingir sua meta de inflação de 2%, mas ressaltou que a instituição agirá rapidamente se a desaceleração da China prejudicar a tendência dos preços.

Segundo Iwata, a inflação está convergindo para a meta, levando-se em conta os índices de preços ao consumidor, as expectativas de inflação e o grau de ociosidade na economia.

Por outro lado, Iwata admitiu que os riscos para o crescimento do Japão provavelmente “tenderão a ser negativos” por enquanto, devido ao desempenho econômico mais fraco dos países emergentes.

“o risco mais significativo no momento é uma nova desaceleração em economias emergentes, na China em particular”, disse Iwata. “Quanto à gestão futura da política monetária, se a manifestação de tal risco levar à deterioração da tendência subjacente da inflação, o (BoJ) fará ajustes sem hesitação”, completou.

Iwata afirmou ainda que a atual política acomodatícia do BoJ tem como objetivo reduzir as taxas de juros reais, elevando as expectativas de inflação e reduzindo as taxas nominais. Fonte: Dow Jones Newswires.