O presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, o republicano John Boehner, disse que ele e o presidente Barack Obama não avançaram em negociações para um acordo orçamentário que interrompa uma série de cortes de gastos automáticos que entraram em vigor na última sexta-feira.

Em entrevista transmitida no domingo pela NBC, Boehner afirmou ter tido uma “discussão muito cordial e educada” durante encontro com Obama na Casa Branca na sexta-feira, mas que não conseguiram chegar a um arranjo para solucionar o impasse fiscal.

Boehner também questionou a viabilidade do plano de Obama para substituir os cortes, visto que os democratas do Senado não se mobilizaram para aprová-lo. Ele afirmou ainda ter dito a Obama que os senadores precisam votar uma proposta, após a Câmara já ter aprovado dois planos sobre o assunto.

“Está na hora de eles votarem, está na hora de voltarmos à ordem normal”, disse Boehner, referindo-se ao processo pelo qual a Câmara e o Senado aprovam projetos separados antes de negociaram um acordo para uma legislação definitiva.

Gene Sperling, um alto assessor econômico da Casa Branca, disse posteriormente à NBC que é preciso primeiro haver algum acordo bipartidário para que qualquer proposta avance no Senado. As informações são da Dow Jones.