O gerente da área de Insumos Básicos do departamento de Papel e Celulose do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Rodrigo Kalinowski, afirmou hoje que o preço da celulose deverá ter um novo reajuste nos últimos dois meses de 2009. Segundo o executivo, que participou de evento promovido pela Associação Nacional dos Profissionais de Venda em Celulose, Papel e Derivados (Anave), o BNDES prevê que o preço internacional do insumo encerre este ano em US$ 700 por tonelada (preço lista). A projeção sinaliza um novo reajuste de US$ 50 entre os meses de novembro e dezembro.

Segundo valores anunciados por fabricantes nacionais e estrangeiros nos últimos dias, o novo preço a ser implementado a partir de outubro, para a Europa (considerado referência no mercado), será de US$ 650 por tonelada a partir de outubro.

O BNDES, por intermédio do BNDESPar, é hoje um dos principais players do mercado, sendo o principal parceiro do Grupo Votorantim no controle da Fibria. Criada no começo deste mês a partir da união da Aracruz com a Votorantim Celulose e Papel (VCP), a Fibria tem participação de 34,9% do BNDESpar e 29,3% do Grupo Votorantim.