O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) multiplicou por cinco os recursos do Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia e Informação (Prosoft). O orçamento do BNDES Prosoft até 2010 subiu de R$ 1 bilhão para R$ 5 bilhões.

A decisão da instituição financeira se deu devido ao crescimento da demanda pelo programa. O Prosoft ganhou impulso com o lançamento da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP), em maio do ano passado, que considera o setor estratégico para a competitividade das empresas em geral.

A carteira de projetos do BNDES Prosoft atualmente é de R$ 1,4 bilhão entre operações contratadas, aprovadas, em análise e em perspectiva, já acima do R$ 1 bilhão do orçamento anterior.

Incluindo operações já terminadas, até julho de 2009, a carteira acumulada de projetos do programa criado em 1999 somou R$ 2,8 bilhões. Foram quase 300 operações, segundo o banco, concentradas nos últimos três anos. Em 2006, as contratações acumuladas somavam cerca de R$ 425 milhões.

O foco do programa “é fornecer apoio financeiro para investimentos e planos de negócios de empresas de software e serviços de tecnologia da informação com sede no Brasil, dando suporte à comercialização de seus produtos no mercado interno e nas exportações”, diz nota do BNDES.

O texto informa ainda que outra iniciativa ligada à instituição e ao setor, o Cartão BNDES, acumula desembolsos para financiamento à aquisição de software de cerca de R$ 91 milhões até julho de 2009, com mais de 4.800 operações realizadas.