O Banco do Japão não alterou a taxa de juro na reunião de política monetária de hoje, mas anunciou um novo programa de liquidez, oferecendo aos bancos 3 trilhões de ienes (cerca de US$ 33 bilhões) em recursos a baixo custo para serem repassados às empresas. O BC japonês informou que cada banco participante do programa poderá tomar um máximo de 150 bilhões de ienes em recursos por um ano à taxa fixa de 0,1% ao ano. Os bancos podem rolar até três vezes os recursos tomados. Será exigido dos bancos que emprestem o total dos recursos para companhias pequenas, que tenham elevado potencial de crescimento, em 18 setores diferentes. Os bancos têm priorizado o ajuste de seus balanços ao invés da concessão de empréstimos.

O comitê de política monetária disse em nota que deseja que os empréstimos sejam direcionados a “negócios que contribuirão para elevar a produtividade ou para a criação de nova demanda” e espera que o programa fortaleça as “fundações do crescimento”. Analistas dizem que, embora a medida tenda a ajudar alguns segmentos, não deve gerar grande impacto na economia de modo geral, porque os recursos envolvidos são relativamente pequenos, muito inferiores aos 20 trilhões de ienes da linha de financiamento do BC, por exemplo. Segundo os estrategistas, a nova medida, não convencional, pretende diminuir a pressão política sobre o banco central para tomar medidas mais radicais, como a compra de um volume maior de títulos do Tesouro.

O volume de empréstimos concedidos pelos bancos vem caindo, e em maio registrou queda de 2,1%, a maior retração em base anual desde agosto de 2005. O BC disse que os bancos podem se inscrever até 22 de junho para ter acesso aos recursos, que devem ser entregues no final de agosto. As informações são da Dow Jones.