Depois da forte entrada de dólares no País até março, o fluxo cambial mudou de tendência em abril, até o dia 8. No período, houve saída líquida de US$ 14 milhões do Brasil, segundo dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC). Nas últimas duas semanas, o governo elevou duas vezes o Imposto de Operações Financeiras (IOF) incidente sobre empréstimos externos, justamente para conter a entrada de capital externo no País.

O fluxo financeiro – que contabiliza investimentos, remessas de lucros e empréstimos, entre outros itens que não fazem parte da balança comercial – apresentou em abril, até o dia 8, saldo positivo de apenas US$ 80 milhões, resultado de entradas de US$ 10,571 bilhões e saídas de US$ 10,491 bilhões. O fluxo comercial, por outro lado, ficou negativo em US$ 94 milhões no período, com exportações de US$ 4,560 bilhões e importações de US$ 4,654 bilhões.

No ano, até o dia 8 de abril, o ingresso de dólares já soma US$ 35,578 bilhões. Esse fluxo de dólares é superior ao volume registrado em todo o ano passado, quando houve saldo positivo de US$ 24,354 bilhões para o País.

Compra de dólares

As compras de dólares do BC no mercado à vista em abril, até o dia 8, elevaram em US$ 2,919 bilhões as reservas internacionais brasileiras. Já as compras no mercado a termo elevaram as reservas no período em US$ 440 milhões.