O presidente do Banco de Portugal, Carlos Costa, disse hoje que uma moratória seletiva (default seletivo) de seu país, como o que a União Europeia aceitou no caso da dívida da Grécia, “está fora de questão”. Ele elogiou as decisões tomadas na cúpula europeia ontem e afirmou que as medidas anunciadas permitem que Portugal fique mais otimista quanto ao futuro.

Além de um novo programa de ajuda financeira para a Grécia, os chefes de governo dos países da zona do euro também concordaram em alongar os prazos e reduzir as taxas de juros para os empréstimos concedidos pelo programa europeu de estabilização financeira para Portugal e para a Irlanda. As informações são da Dow Jones.