O Banco Central da Austrália (RBA, na sigla em inglês) decidiu manter a possibilidade de reduzir ainda mais a taxa de juros básica da economia. Na ata da reunião de novembro, a instituição destacou que o crescimento nos próximos anos será contido pelo investimento mais baixo em mineração, pela força da moeda do país e pela redução dos gastos públicos.

O banco afirma que “dado o nível substancial do estímulo que já foi transmitido, foi prudente manter as taxas estáveis, sem encerrar a possibilidade de reduzi-las no futuro”. Na reunião do dia 5, os conselheiros decidiram manter a taxa de juros inalterada em 2,5%.

O tom cuidadoso do RBA foi coerente com as declarações recentes e as sinalizações de que a instituição ainda não se convenceu de que setores mais fracos como o varejo e a construção estariam prontos para uma recuperação sustentável, mesmo após os oito cortes nas taxas de juros que ocorreram nos últimos dois anos. No começo do mês, o banco central reduziu sua previsão de crescimento da economia em 2014 para US$ 1,5 trilhões.

Entre as preocupações dos conselheiros está a apreciação acelerada do dólar australiano ante a moeda dos EUA, o que estaria pressionando os exportadores. “O dólar australiano continua desconfortavelmente apreciado”, indicou a ata da reunião. Ao mesmo tempo, os investimentos em novos projetos de mineração estão em baixa, com a perspectiva de queda nos preços de muitas commodities. A previsão de que a inflação australiana deve permanecer dentro da meta também pesou na decisão.

Por outro lado, o banco central destacou as “evidências crescentes de que a política monetária está dando apoio a atividades em setores ligados às taxas de juros e ao preço de ativos”. Frente ao tempo que as políticas demoram para ter efeito, “é provável que o estímulo continue aparecendo ao longo do tempo” informou. (Thiago Moreno, com informações da Dow Jones Newswires e da Market News International – thiago.moreno@estadao.com)