Os bancos que adiantarem 60 contribuições mensais ao Fundo Garantidor de Crédito (FGC) poderão abater o valor do depósito compulsório (dinheiro que os bancos são obrigados a recolher ao BC) à vista. Essa é mais uma medida do Banco Central para dar liquidez (proporcionar dinheiro disponível) no mercado, em meio à crise financeira internacional.

De acordo com o Banco Central, podem deixar de ser recolhidos até R$ 6 bilhões no mercado, a partir do próximo dia 29. A alíquota do FGC é de 0,0125% sobre os depósitos das instituições.

Essa medida não faz parte dos R$ 100 bilhões previstos na programação de liberação integral dos depósitos compulsórios, anunciada no dia 13 deste mês.

O FGC foi criado para proteger correntistas, poupadores e investidores, em caso de falência ou de sua liquidação de instituição. O FGC garante perdas de até R$ 60 mil.