O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel, atribuiu a piora do déficit em conta corrente das contas externas ao resultado negativo de US$ 4,03 bilhões da balança comercial brasileira. Outro fator apontado por ele para o déficit de conta corrente foi o aumento do volume de remessas de lucros e dividendos ao exterior, que atingiu R$ 2,068 bilhões.

“O volume de remessas foi um pouco mais significativo. Este é um item com certa de volatilidade e apresentou um crescimento em janeiro”, Maciel. Ele destacou que o déficit em conta corrente de janeiro, de US$ 11,371 bilhões foi o pior da série, que teve início em 1947, acima dos US$ R$ 8,3 bilhões projetados pelo BC há 30 dias.