A banda larga cresce fortemente no Brasil, mas o acesso ao serviço ainda é bastante restrito. No fim do segundo trimestre, havia 6,54 milhões de assinantes, um crescimento de 35,9% sobre o mesmo período do ano passado e de 8% sobre o trimestre anterior, segundo o estudo "Barômetro Cisco de Banda Larga". O número não inclui os 233 mil acessos de internet rápida de banda larga por telefonia móvel que existiam no País, que só começaram a ser medidos no último trimestre pelo estudo.

Apesar do crescimento importante, a densidade da banda larga no País ainda é muito baixa. Existem cerca de 3 conexões por 100 habitantes, o que faz o Brasil ficar atrás de outros países da América Latina, como o Chile (7%) e a Argentina (4%). Na Coréia do Sul, a densidade estava em 26% no fim do ano passado e, em Hong Kong, em 25%. Os EUA têm 19 conexões por 100 habitantes.

Há quase três anos, quando a Cisco e a consultoria IDC começaram a fazer o estudo, traçaram uma meta de 10 milhões de acessos para 2010. "Não era uma previsão, mas uma meta", afirmou Pedro Ripper, presidente da Cisco do Brasil. "As empresas de pesquisa projetavam cerca de 6,5 milhões para 2010. Na próxima edição do estudo, vamos revisar a meta para 12 milhões ou 13 milhões." As informações são do jornal O Estado de São Paulo.