Brasília – O governo brasileiro não ficou satisfeito com a constatação de que outros países estão ocupando o espaço aberto no mercado argentino com as limitações à entrada de eletrodomésticos do Brasil. O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, telefonou ontem ao ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavagna, e pediu que se busque uma solução para o problema. No final desta semana, o Itamaraty decidiu fazer um estudo para apurar se eram verdadeiras as notícias de que exportadores do Chile e do México estão suprindo a demanda de geladeiras com freezers para os argentinos no lugar das empresas brasileiras.