Os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) no País somaram US$ 3,775 bilhões em agosto, resultado abaixo dos US$ 5,035 bilhões no mesmo período do ano passado, informou o Banco Central (BC) nesta terça-feira, 24. Os aportes externos para o investimento produtivo ficaram dentro das estimativas do AE Projeções, que iam de US$ 2,4 bilhões a US$ 4,7 bilhões, e próximo da mediana de US$ 3,5 bilhões.

No acumulado do ano até o mês passado, o IED soma US$ 39,014 bilhões, o equivalente a 2,70% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, o IED acumulado era de US$ 43,204 bilhões (2,91% do PIB). Em 12 meses até agosto, o IED está em US$ 61,081 bilhões, o que corresponde a 2,72% do PIB.

Conforme o comunicado da autoridade monetária, embora tenha mantido a projeção de déficit nas transações correntes em US$ 75 bilhões neste ano, aumentou a diferença para que o saldo negativo seja coberto pelo IED. A nova previsão de IED do BC é de US$ 60 bilhões, equivalentes a 2,68% do PIB e abaixo dos US$ 65 bilhões esperados anteriormente.

Com os investimentos em renda fixa chegando a US$ 20,588 bilhões até agosto, a projeção do BC para os investimentos em títulos saltou de US$ 12 bilhões para US$ 30 bilhões. Já a expectativa de investimentos em ações em 2013 foi mantida em US$ 10 bilhões.