Marechal Cândido Rondon recebe hoje apicultores de todo o Estado para um encontro técnico, visando estabelecer metas para revigoramento da atividade a curto prazo. A apicultura está passando por uma fase de grandes mudanças em função, principalmente, da expansão do mercado mundial de mel, enquanto o Paraná tem sua produção praticamente estabilizada há mais de cinco anos, com uma oferta anual em torno de 2.500 toneladas.

Segundo lideranças do setor, os apicultores devem investir mais em associativismo para que o Paraná conquiste novamente sua posição de grande produtor. As políticas oficiais de apoio existentes, como a assistência técnica e treinamentos, embora sejam eficientes, devem ser fortalecidas com as introdução de linhas de defesa da sanidade da produção. Outro problema enfrentado tem sido a difusão de rainhas de raças européias, sem controle sanitário, adquiridas diretamente por alguns produtores. As raças existentes no Estado, fruto de cruzamento entre abelhas européias antigas e africanas, deram ao Paraná uma apicultura com alto grau de rusticidade, alta produtividade e boa qualidade do mel, agora ameaçadas por degeneração genética.

O Encontro Estadual de Apicultura será realizado em Marechal Cândido Rondon, com apoio da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, Emater do Paraná e Paraná 12 Meses, com início às 8h30, na sala de eventos do Colégio Rui Barbosa. Uma assembléia geral extraordinária foi convocada pela Federação Paranaense de Apicultores (FEPA) para as 13h, no mesmo local, para definição das medidas a serem tomadas.