Como fizeram na véspera da Cúpula do G-20 (grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo), em Londres, em abril, os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e da França, Nicolas Sarkozy, têm encontro hoje para afinar os discursos antes da reunião do G-8 (grupo dos sete países mais ricos do mundo e a Rússia). A reunião será no Palácio do Eliseu, em Paris, e mais uma vez terá como tema central a reforma do sistema financeiro. A novidade: ambos acreditam na decadência do “grupo dos ricos”.

A reunião foi marcada quando os dois presidentes estiveram na Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Genebra, há 15 dias, e estava prevista para as 12 horas de hoje, mas foi antecipada a pedido da França. Lula e Sarkozy se encontram pela segunda vez este ano em Paris. Como em abril, os dois chefes de Estado discutirão, entre outros, temas como a reforma do Fundo Monetário Internacional (FMI), de interesse do Brasil, e o combate aos paraísos fiscais, foco da França. Também devem pedir, na Cúpula do G-8, em Aquila, na Itália, a implementação das medidas definidas no encontro de abril, em Londres.

Outro ponto de acordo entre as duas delegações diz respeito à perda de relevância do grupo dos mais ricos. Na reunião de Aquila, os países emergentes – Brasil, Índia, China, África do Sul, México e Egito – serão convidados apenas para o segundo dia de debates. “Há uma concordância dos líderes de que o G-8 não é mais o fórum ideal para discutir temas econômicos e financeiros”, reafirmou ontem o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.