O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Haroldo Lima, anunciou que serão assinados em agosto os primeiros contratos “de longo prazo” entre as distribuidoras de etanol e as usinas produtoras. O objetivo é aumentar a oferta de etanol já na próxima entressafra.

Segundo Lima, os contratos terão que ser cumpridos pelas usinas. No caso de uma encomenda de etanol, a usina estará obrigada a produzir para atender o prescrito no contrato, seja qual for a quantidade. Caso contrário, terá que importar etanol para suprir a demanda do distribuidor.

Lima disse que os contratos terão validade de um a dois anos, mas ressalvou que na próxima entressafra ainda deverá haver dificuldades para atender o mercado. “Não podemos fazer uma espécie de milagre”, afirmou ele, antes da cerimônia de posse de dois novos diretores da ANP.