A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) promove, a partir das 10 horas de hoje, o segundo leilão de transmissão de 2011. De acordo com a autarquia, 16 empresas e seis consórcios irão disputar os 12 lotes ofertados na licitação, que compreendem 14 linhas de transmissão, com 2,051 mil quilômetros de extensão, e 12 subestações. Os ativos estão localizados em 13 Estados do Brasil.

Entre os ativos a serem licitados destaque para o lote A, que compreende as instalações que permitirão a interligação de Boa Vista (RR) ao resto do País. As concessões de transmissão irão demandar investimentos de R$ 2,8 bilhões, e a Receita Anual Permitida (RAP) máxima é de R$ 341,2 milhões. Os vencedores dos lotes são aqueles investidores que apresentarem o menor valor de RAP para operar os empreendimentos ofertados pelo governo na licitação.

Em relação aos participantes, as 16 empresas habilitadas são: Abengoa, Alupar, Chesf, Cobra, Queiroz Galvão, Cteep, Cymi, Empresa Amazonense de Transmissão de Energia, Elecnor, FR Incorporadora, Eletronorte, Furnas, Isolux, Neoenergia, Orteng e Taesa (Cemig).

Já os seis consórcios são: Costa Oeste (Copel – 51% e Eletrosul – 49%), Garanhuns (Chesf – 49% e Cteep – 51%), Linha Verde (Elecnor – 51% e Copel – 49%), Mato Grosso (Bimetal Energia – 50% e Advanced Investimentos e Participações – 50%), Boa Vista (Eletronorte – 49% e Alupar – 51%) e Pirineus (FR Incorporadora – 25,5%, CEL Engenharia – 25,5% e Celg – 49%).

Os 12 lotes contêm ativos nos Estados de Roraima, Pará, Mato Grosso, Goiás, Paraná, Minas Gerais, Piauí, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Alagoas e Paraíba. O prazo de conclusão das obras será de 18 a 36 meses, e os contratos de concessão são de 30 anos.