Analistas de mercado ouvidos pelo Banco Central esperam que a taxa básica de juros, a Selic, seja mantida em 11,25% ao ano na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que começa na terça (4) e termina na quarta-feira (5). Para o final de 2008, a projeção é que feche em 10,25%. A informação consta do Boletim Focus, publuicado nesta segunda (3) com as projeções de cem analistas para os principais indicadores da economia. 

A pesquisa também indica redução na expectativa para o crescimento da economia. Os analistas projetam que o Produto Interno Bruto (PIB), a soma das riquezas produzidas no país, deve crescer 4,70% neste ano, 0,01 ponto percentual a menos do que a expectativa anterior. Para 2008, a previsão é de 4,30%, contra 4,33% da expectativa anterior. Para a produção industrial, os analistas projetam crescimento de 5,30%, em 2007, e 4,50%, em 2008.

A estimativa de relação entre dívida líquida do setor público e PIB se manteve em 43,3% para 2007, com redução para 42% no final de 2008. Isso significa que mais de 40% de tudo que o Brasil produz estará comprometido com o pagamento da dívida.

Os analistas ouvidos pelo BC mantiveram a projeção de entradas de investimento estrangeiro direto no setor produtivo em US$ 33 bilhões, em 2007, e US$ 25 bilhões, no próximo ano.

Quanto ao saldo da balança comercial (exportações menos importações), a estimativa é de US$ 40,55 bilhões neste ano e de US$ 34,20 bilhões em 2008. A estimativa para saldo em conta corrente, que envolve todas as transações comerciais e financeiras com o exterior, caiu para US$ 8,20 bilhões para 2007, contra US$ 8,25 bilhões da projeção anterior, e para US$ 2 bilhões 2008, ante US$ 2,42 bilhões da estimativa da outra semana.

A projeção para taxa de câmbio se manteve em R$ 1,75 ao final do ano e em R$ 1,80 em 2008.