O presidente da Santos Brasil, Antonio Carlos Sepúlveda, disse nesta terça-feira, 27, que o atual ambiente econômico brasileiro e um ensaio de recuperação da economia dos Estados Unidos podem afastar investidores estrangeiros das concessões portuárias que deverão ser realizadas até o final do ano. Ele, no entanto, disse que são raros os momentos em que o ativo porto é disponibilizado para concessão e, por causa disto, os leilões deverão atrair interessados.

Sepúlveda afirmou que o Brasil se tornou menos atrativo para o investidor internacional com um quadro de pressão cambial, inflacionária e de taxa de juros. “Mas porto é um ativo que aparece a cada 20 anos, então haverá interessados nas concessões”, afirmou, após participar de debate sobre o Porto de Santos, ocorrido na cidade do litoral paulista.

O governo pretende iniciar o processo de concessão portuária por Santos e portos do Pará. Esses locais, disse o presidente da Santos Brasil, não estão nos planos da empresa, que pretende avaliar ativos em novas regiões do País. Sepúlveda citou Suape (PE), Salvador e Manaus. “O ideal é investir onde não estamos ainda”, disse. “Vamos olhar os próximos lotes com muito cuidado”, completou.