A Receita Federal havia recebido, até ontem, cerca de 11,5 milhões de declaração do do Imposto de Renda da Pessoa Física 2003 (ano-base 2002). O montante corresponde a um aumento de 16,99% em relação ao total de 9,83 milhões de declarações entregues até as 17 horas de sexta-feira.

O volume de declarações entregues até agora está bem abaixo das expectativas da Receita, que espera 19 milhões de declarações até amanhã (quarta-feira), quando se encerra o prazo para envio das informações. O contribuinte que perder o prazo pagará multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido.

No entanto, o supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir, acredita que o total de declarações entregues possa se aproximar das previsões feitas pela Receita até quarta-feira. “O brasileiro ainda não perdeu o costume de deixar tudo para a última hora. No último minuto do último dia, ainda haverá gente enviando sua declaração”, disse Adir.

Segundo ele, quem deixar para a última hora correrá o risco de enfrentar problemas para enviar sua declaração, já que os sistemas eletrônicos da Receita podem ficar congestionados.

Adir afirmou que até agora não houve registros de congestionamento para envio das declarações. Pelos cálculos da Receita, estão sendo enviadas cerca de 1,3 mil declarações por hora. Se a média permanecer a mesma até amanhã, a Receita terá recebido 11,593 milhões de declarações.

Segundo Adir, o total de declarações entregues deverá ser ampliado, já que os balanços divulgados pela Receita não contabilizam as declarações entregues por formulário nos Correios.

O prazo de entrega da declaração pela internet e telefone termina às 20h (horário de Brasília) de quarta-feira. Para os demais meios de entrega -, disquete nas agências do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal e formulário, nos Correios – o contribuinte deve observar o horário de expediente dos bancos e Correios de sua cidade.