Após três recuos consecutivos, o Produto Interno Bruto (PIB) da indústria brasileira teve no primeiro trimestre de 2012 a maior alta na margem desde o primeiro trimestre de 2010, quando subiu 2,6%. O avanço se deu em praticamente todos os segmentos, à exceção do segmento de extrativa mineral, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta sexta-feira.

“Na indústria, a gente vai ver que só a extrativa mineral registrou queda em relação ao último trimestre do ano passado. Todas as outras cresceram: construção civil, indústria da transformação, produção e distribuição de eletricidade, gás e água”, disse Rebeca Palis, gerente da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE. “A indústria da transformação, comparado ao mesmo trimestre do ano anterior, ainda apresenta queda, mas o recuo foi menor do que o registrado no quarto trimestre de 2011 ante o quarto trimestre de 2010.”

Em relação à discrepância entre o avanço no PIB e o resultado da produção industrial apontada pela Pesquisa Industrial Mensal, Rebeca explicou que há diferenças metodológicas. “Em primeiro lugar, a ponderação das atividades é diferente entre os dois levantamentos. A gente tem o peso das Contas Nacionais, que é diferente do peso que eles usam. Calculamos o valor adicionado e não só a produção”.

O PIB de Serviços mostrou alta 0,6% no primeiro trimestre deste ano em relação ao quarto trimestre de 2011. Na comparação com o primeiro trimestre de 2011, houve alta de 1,6% nos primeiros três meses deste ano.