O preço do álcool hidratado nos postos brasileiros subiu 2% na semana passada e chegou a R$ 1,460 por litro, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O ritmo é menor do que o registrado nas semanas anteriores, refletindo a estabilização das cotações nas usinas paulistas. Em São Paulo, a alta na última semana foi de 2,1%, para R$ 1,261 por litro, segundo apontou a ANP. Nas últimas quatro semanas, o combustível tem aumento acumulado de 10%, na média nacional, e 15% nos postos paulistas.

A alta das últimas semanas, porém, já foi suficiente para reduzir a competitividade do álcool em relação à gasolina em algumas regiões. Atualmente, a gasolina tem vantagem em sete Estados: Acre, Amapá, Pará, Piauí, Rio Grande do Sul, Roraima e Sergipe. Em outros quatro Estados – Amazonas, Ceará, Paraíba e Rondônia – além do Distrito Federal, a relação entre os preços dos dois combustíveis se aproxima do teto de 70%, após o qual o derivado de petróleo é mais vantajoso.

A ANP não detectou variações significativas nos preços dos demais combustíveis pesquisados. Na média nacional, o diesel e a gasolina fecharam a semana a R$ 1,860 e R$ 2,496 por litro, respectivamente. A manutenção do preço da gasolina indica que ainda não houve grandes repasses da alta na cotação do álcool anidro. Já o gás natural veicular foi vendido nos postos brasileiros a R$ 1,353 por metro cúbico. O gás de cozinha custava R$ 32,75 por botijão na semana passada.