O trabalho da Agência do Trabalhador vem aumentando diariamente em todo o Paraná. Nos primeiros meses do ano, foram cerca de 250 mil inscritos, a maioria de nível médio. Na agência são oferecidos os mais variados cargos, desde o pedreiro, mecânico eletricista ao advogado, médico e farmacêutico.

Há duas semanas, a psicóloga Maria Aparecida Matoso, 62 anos, conseguiu um emprego através da Agência do Trabalhador. Ela está em experiência no cargo de gerente-geral na Confeitaria Neuchatel. Autônoma aposentada, Maria veio morar em Curitiba há dois anos. “Eu vim a Curitiba para cuidar de minha neta e minha aposentadoria não era suficiente para eu arcar com as despesas.”

Maria Aparecida teve muitas dificuldades para encontrar um emprego, principalmente por ter uma idade avançada. Ela buscou diversas agências de emprego, mas sem muitos resultados. Agora na sua nova função como gerente, Maria está cheia de expectativas. “Quero voltar a ter meu consultório e ajudar a comunidade”, relata a aposentada.

Nessas primeiras semanas, Maria Aparecida está conhecendo seu trabalho. “Como sou a mais nova da turma, com os meus 62 anos, eu vivo brincando com minha equipe. Eu digo para as meninas: tenham paciência que a mamãe está aprendendo”, diverte-se Maria. A psicóloga está conhecendo cada umas das tarefas existentes na confeitaria para desenvolver um trabalho de qualidade.

Maria Aparecida tem um currículo invejável para muitos trabalhadores. Ela é formada em psicologia pela Universidade São Marcos, é especialista em psicoterapia e doenças psicossomáticas. Realizou diversos cursos na área de psicologia empresarial, como avaliação e acompanhamento de casais e adolescentes, orientação vocacional.

Ela atuou em psicologia clínica por 25 anos, trabalhou com jovens na Febem de São Paulo e prestou consultaria para diversas empresas de recursos humanos. Paralelamente a sua profissão, Maria Aparecida atuou com gerente e coordenadora de vendas.

A psicóloga aposentada diz que não quer parar de trabalhar. “Eu acredito que o segredo para a gente ser feliz é nunca perder a esperança, a força de vontade”, comenta a psicóloga.

Maria elogiou o tratamento que recebeu na Agência do Trabalhador. Como já prestou serviço para algumas empresas de recursos humanos, ela destacou o tratamento que recebeu dos funcionários da Agência do Trabalhador. “Fui tratada com muita atenção pelas meninas da central de vagas. Sei que sempre que eu precisar de alguma ajuda, poderei contar com a Agência do Trabalhador”, ressalta Maria.