A capacidade do Aeroporto Internacional Afonso Pena, na Grande Curitiba, está quase esgotada, na avaliação do presidente da companhia Azul Linhas Aéreas, Pedro Janot. Ele esteve no local na tarde desta quarta-feira (13) para celebrar o alcance da marca de 8 milhões de passageiros transportados pela empresa em pouco mais de dois anos de atuação.

Para Janot, a situação do Afonso Pena, principalmente nos horários de pico, carece de maior atenção da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) independentemente de eventos como a Copa do Mundo de 2014. “Nos horários de pico o Afonso Pena está espremido. O estacionamento de veículo precisa aumentar sua capacidade, assim como carecemos de uma área maior para o estacionamento de aeronaves”, analisou.

Tais obras já constam na programação do aeroporto, segundo o relatório da Infraero. A ampliação do pátio de estacionamento de veículos está em andamento e, quando estiver pronta, deve fazer com que a capacidade do estacionamento passe de 680 para mais de 2 mil veículos. Quanto à outra demanda, a ampliação do pátio de estacionamento de aeronaves, a obra ainda se encontra na fase de licitação.

Ciciro Back/O Estado
Estacionamento será ampliado de 680 para mais de 2 mil vagas.

 

Das obras em execução, além do estacionamento de veículos, também já está sendo trabalhada a fundação do terreno que irá permitir a ampliação do Terminal de Cargas (Teca), hoje com 12 mil m² e que passará a ter 17 mil m².

Um ano de voos gratuitos

A passageira que comprou o bilhete literalmente premiado, visto que a Azul a decidiu contemplar o cliente com um ano de passagens gratuitas, foi a engenheira civil Raquel Ercolin de Moura. Ela iria viajar a trabalho para Porto Alegre (RS). “Foi uma ótima surpresa e pretendo usar para lazer. Como primeiro destino, quero ir para Recife (PE)”, revelou. Quem cruzou o Aeroporto Internacional Afonso Pena na tarde desta quarta-feira (13) foi surpreendido com a celebração promovida pelos funcionários da companhia e uma banda musical, que tocava marchinhas.

 Ciciro Back/O Estado
Passageira número 8 milhões da Azul ganhou um ano de voos gratuitos.

 

Tarifas pressionadas

A escalada nos preços do petróleo e do querosene de aviação já impactou no preço do frete aéreo, que aumentou em 10%, e deve fazer o mesmo com as passagens. “O repasse é quase inevitável, mas o comportamento do câmbio mais baixo poderá minimizar a formação do preço, por isso ainda é cedo para falar em um percentual de reajuste, mas continuaremos praticando preços diferenciados seguindo nossa política comercial”, comentou o presidente da Azul.