O presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Sussumu Honda, afirmou hoje que espera crescimento de 8% a 9% nas vendas reais do setor este ano. “O crescimento ficará próximo ao de 2008, quando houve expansão de 8,98%”, disse Honda. Em 2009, o crescimento das vendas reais dos supermercados foi de 5,51%. “A previsão para 2010 é inversa à do início do ano passado. O cenário macroeconômico do Brasil é positivo, com efetiva criação de empregos”, disse o representante da Abras, mencionando também o aumento da renda salarial.

Honda citou a expectativa de aumento do Produto Interno Bruto (PIB) de 5% em 2010 e as perspectivas positivas para a safra agrícola como fatores que contribuem para o crescimento esperado para este ano. Segundo ele, se os preços ficarem estáveis, haverá aumento do volume vendido e do faturamento dos supermercados. Questionado se a tendência é de estabilidade, ele respondeu que existe pressão de preços, mas que as indústrias que fornecem para o setor de supermercados ainda não estão trabalhando em três turnos e têm condições de elevar a produção. Honda acrescentou que “os preços não precisam subir se as indústrias aumentarem o volume produzido”.

No ano passado, as vendas dos supermercados cresceram 3,2% em volume ante 2008, quando foi registrada expansão de 0,4%. “Houve aumento em praticamente todas as categorias que apresentaram queda em 2008”, disse. Foi registrada retração na categoria “outros”, que inclui, por exemplo, alimentos para cães, que tiveram aumento de preços.

Na avaliação do presidente da Abras, o crescimento de 5,51% de vendas reais registrado no ano passado pode ser explicado pelo crescimento da renda da população, da manutenção do aumento do poder de compra do salário mínimo e do crescimento da oferta de crédito.