Será aberta hoje, no Centro de Exposições de Curitiba – Parque Barigüi, a 14.ª Expomac -Feira Sul-Brasileira da Indústria Metal-Mecânica. Um volume de negócios de R$ 50 milhões é a expectativa dos organizadores do evento, que prossegue até o próximo sábado. A Expomac este ano reúne 250 empresas da cadeia metal-mecânica nacional e internacional, com expectativa de público de 25 mil empresários e profissionais.

Realizada a cada dois anos, a Expomac mostra a transformação econômica que o Paraná vem passando. “À medida que as empresas foram se instalando no Estado, principalmente as montadoras automotivas, a Expomac foi aumentando a sua abrangência e importância dentro do setor, porque as empresas passaram a ver o Paraná como um excelente local para investir”, afirma o gerente de marketing da Diretriz, promotora da feira, Jackson Hara. Segundo ele, as empresas precisam se atualizar em relação às novas tecnologias, produtos e serviços para poder atender os novos mercados. Para o presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Estado do Paraná (Sindimetal/PR), Roberto Sotomaior Karam, o setor metal-mecânico no Estado tem crescido sensivelmente nos últimos anos, mas há ainda muitas oportunidades para expansão. Para ele, a participação em feiras especializadas, como a Expomac, contribui para compor “a vitrine” do setor. “Quanto mais divulgarmos nossas competências, maiores são as chances de aumentar nossa participação no mercado”, destaca Karam.

Indústrias chinesas participam da feira

Paralelamente à 14.ª Expomac, acontece a I Feira Industrial da Província de Shanxi China, com a participação de aproximadamente 30 empresas da indústria metal-mecânica. As empresas são convidadas da União China Brasil (UCB), órgão responsável em facilitar o intercâmbio e a atividade econômica entre os dois países. Ferramentas, materiais de proteção, automação industrial, válvulas e equipamentos de informática são os principais produtos a serem apresentados pelas empresas chinesas.

De acordo com o responsável pela UCB, Li Yong Hong, esta é a primeira vez que a União participa de uma feira técnica. “Com a Expomac será possível as empresas chinesas conhecerem melhor as brasileiras, em termos de perfil econômico e tradição”, diz Hong. Para ele os dois países estão situados muito distantes geograficamente, por isso sendo necessário estreitar as relações e aumentar a comunicação entre eles.

A intenção, segundo ele, é de fazer um primeiro contato com as empresas brasileiras e, quem sabe, iniciar um futuro negócio ou parceria. “Esperamos que o mercado chinês tenha o maior interesse em trabalhar com feiras brasileiras, assim como queremos levar empresas do Brasil a participar de feiras na China”, espera Hong.

Para a Embaixada da República Popular da China, no Brasil, a cooperação econômica bilateral e os investimentos mútuos têm aumentado ano a ano. Da década de 80, o início da reforma e abertura da China, para cá, mais de 50 empresas chinesas instalaram órgãos comerciais em São Paulo e Rio de Janeiro, o que promoveu fortemente o desenvolvimento do comércio bilateral.