O pagamento do 13.º salário aos trabalhadores com vínculo formal de emprego, aposentados e pensionistas da Previdência Social deve injetar aproximadamente R$ 1,72 bilhão na economia de Curitiba ao longo do ano (a maior parte, 70% nos meses de novembro e dezembro).

A estimativa é do Observatório do Trabalho, uma parceria entre a Secretaria do Municipal do Trabalho e Emprego de Curitiba e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

De acordo com a secretaria, 1.108.434 pessoas devem ser beneficiadas pelo pagamento de R$ 1.727.965.782,03. Esse montante representa aproximadamente 5,13% do produto interno bruto (PIB) do município, que é estimado em R$ 33 bilhões.

O número de pessoas que receberão o 13.º salário em 2008 é cerca de 4,63% superior ao observado em 2007. Estima-se que 34.209 pessoas a mais passaram a receber o benefício, por terem sido incorporadas ao mercado de trabalho ou terem o vínculo empregatício formalizado. O volume de rendimentos obtido com o 13.º salário em Curitiba representa 37,5% do total do Paraná, que chega a R$ 4,8 blhões.

O cálculo do Observatório do Trabalho não considera os profissionais autônomos, nem assalariados sem carteira de trabalho assinada que, eventualmente, recebem algum tipo de abono de fim de ano, nem os valores desses abonos, que são dados difíceis de medir.

Também não foram considerados os empregados domésticos com carteira assinada, nem os casos de adiantamento da primeira parcela do 13.º salário ao longo do ano.

Para chegar a esses números, foram usados dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ambos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Previdência Social.