Foto por: Fabrice Coffrini

Sob o comando do técnico Dunga, o país que o Brasil mais enfrentou foi o Chile, cinco vezes com cinco vitórias da seleção brasileira, mas o treinador elogiou o adversário das oitavas de final da Copa do Mundo e ressaltou que tudo o que já aconteceu não importa neste momento, já que a cobrança é sempre relativa ao próximo jogo.

¨Para mim é só estatística, os números são feitos para estatísticas. O que vale é a próxima, a cobrança é para este jogo¨, declarou Dunga em uma entrevista coletiva no estádio Ellis Park, local da partida de segunda-feira.

Com Dunga como técnico, o Brasil venceu o Chile por 4-0 em um amistoso no dia 24 de março de 2007. No mesmo ano, outros dois confrontos, pela Copa América da Venezuela: 3-0 na primeira fase e 6-1 nas quartas de final.

Pelas eliminatórias para a Copa de 2010 mais duas vitórias brasileiras: 3-0 em Santiago em 2008 e 4-2 em 2009 na Bahia.

Mas o treinador fez questão de repetir que para um jogo eliminatório dentro de uma Copa do Mundo, os números não são levados em consideração.

¨História faz parte do passado. Temos que jogar a próxima¨, disse, antes de explicar que os jogadores têm consciência da importância da partida.

¨Eles sabem que o que importa é sempre a próxima na seleção brasileira. A gente vai jogar contra o Chile. A história da seleção brasileira é esta, o que vale é sempre o próximo, o que passou já passou, fica nas estatísticas. É bom para conversar com os amigos e falar “ganhei estes jogos”, mas para nós que estamos aqui o importante é sempre o próximo¨.

Dunga também elogiou o adversário e o trabalho do técnico argentino Marcelo Bielsa com a equipe.

¨Sem dúvida o Chile vem crescendo com o Bielsa, vem melhorando, vem sendo uma equipe competitiva. Um adversário sempre difícil¨.

¨Uma equipe rápida, muito competitiva, adquiriu a mentalidade de seu treinador. É uma equipe que vem para o campo para jogar, joga no seu limite, deixa tudo que tem que deixar dentro de campo, então para você superar tem que jogar da mesma forma¨, acrescentou.

Pelo histórico do confronto, Dunga também foi questionado se o Chile seria o adversário perfeito para o Brasil.

¨Ideal foi o que o Brasil já ganhou. Os outros são todos complicados, a gente vai ter que jogar, cada um tem a sua forma de jogar e nós temos que achar a nossa forma de jogar, de surpreender o adversário¨, respondeu.

O fato do Chile ser a segunda equipe em número de faltas cometidas na Copa também foi lembrado, mas o técnico afirmou que o Brasil deixa a questão sob a responsabilidade dos árbitros e da Fifa.