Cerca de 400 trabalhadores do setor bancário estão em situação irregular no Paraná. Durante todo o mês de agosto, auditores da Delegacia Regional do Trabalho e do Ministério do Trabalho e Emprego fizeram fiscalização nas agências bancárias do estado. O resultado foi divulgado ontem (5) pelo ministério.

De acordo com o auditor fiscal Cezar Natal Paiva Pereira, a principal irregularidade encontrada foi a contratação de trabalhadores como escriturários (e não como bancários), feita por empresas terceirizadas.

Nesses casos, diz Pereira, o salário não é pago segundo a base fixada pelo Sindicato dos Bancários. Os trabalhadores recebem por outros sindicatos e acabam tendo um piso salarial inferior ao da categoria.

Além da redução dos ganhos, o auditor diz que o empregado perde outros benefícios, como remuneração das férias e 13º salário, além do Fundo de garantia por tempo de Serviço (FGTS) que incide sobre esses direitos.

"O trabalhador, infelizmente, acaba sendo altamente prejudicado", afirma o auditor. Segundo ele, a fiscalização continuará sendo feita em todo país até que haja um diagnóstico da situação global, quando acontecerão novas ações. As empresas e os bancos fiscalizados foram notificados a comparecer à Delegacia Regional do Trabalho e apresentar a documentação exigida.