Londrina – A mulher mais velha do Brasil e, possivelmente, a mais idosa do mundo, Maria Olívia da Silva, completará 126 anos amanhã (28). Ela mora no distrito de Içara, em Astorga, norte do Paraná, numa modesta casa de madeira, cujos objetos de decoração mais vistosos, expostos nas paredes ou sobre os móveis da sala, são os recortes de revistas e jornais de todo o mundo sobre o recorde de longevidade da moradora.

O Guinnes Book, o livro dos recordes, reconhece que dona Maria é a mulher mais idosa do Brasil – a certificação mundial ainda não foi expedida -, apesar de ela ter nascido na Polônia. Ela veio para o Brasil quando tinha três anos de idade. Pouco se sabe sobre seus pais e sua descendência também é incerta. Ela teve 10 filhos naturais e quatro adotivos, mas o número de netos, bisnetos e tataranetos não pode ser definido com precisão – seriam cerca da 400, calcula Aparecido Honório Silva, 59 anos, que dona Maria Olívia adotou ainda quando bebê e é o único sobrevivente de sua prole.

Para comemorar seu aniversário, dona Maria Olívia – que vive graças a uma pensão mensal fornecida pela Prefeitura – encomendou apenas "um bolinho e refrigerantes". Mas o filho avisa: qualquer ajuda será bem-vinda. A velha casa da velha senhora precisa urgentemente de um novo telhado.