Barra do Turvo, SP – A dona de casa Maria Rita de Brito, de 61 anos, morreu sábado (25), num acidente na Rodovia Régis Bittencourt (BR-116). Acompanhada da filha, do genro e de três netos, Rita ocupava um Palio que trafegava na pista Curitiba-São Paulo.

Em Barra do Turvo, no Vale do Ribeira (SP), um caminhão desgovernado cruzou a pista e atingiu a lateral traseira do carro, matando a dona de casa, instantaneamente. O corpo foi sepultado no fim da manhã de ontem (26) no Cemitério da Saudade, zona leste da capital paulista.

Rita, que ocupava o banco traseiro, segurava o neto, Saulo de Brito Rubiale Arantes, de apenas 1 ano e 8 meses. Saulo está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, a 100 quilômetros de Curitiba. Ele passou por duas cirurgias e, segundo boletim médico, o quadro clínico é extremamente grave. Saulo teve fraturas múltiplas pelo corpo, mas a gravidade decorre de ferimentos na cabeça.

Apesar da gravidade do acidente, os demais ocupantes do automóvel, entre os quais, um menino de 5 meses, tiveram ferimentos leves e foram liberados do hospital onde ficaram em observação até a manhã de ontem.

O motorista do caminhão, Claudinei Aguero Correia, teve uma perna quebrada e permanece internado no mesmo hospital. Passou hoje por uma cirurgia no fêmur. Depois de bater no Palio, o caminhão caiu numa ribanceira. A Polícia Rodoviária Federal (PRF), que atendeu a ocorrência, prendeu o motorista em flagrante.

Um exame identificou a presença de álcool no sangue. No momento do resgate, a polícia constatou um quadro de confusão mental do caminhoneiro. A Polícia Rodoviária também descobriu cartelas com rebite na boléia do caminhão. A droga é usada por caminhoneiros como estimulante.