Em sete dias consecutivos de baixa, o dólar já acumula uma desvalorização de 2,4%. Esta é a maior sequência de baixa da moeda dos EUA em 11 meses. Ontem, a divisa caiu só 0,13%, cotada a R$ 2,888.

A tensão com a crise política se dissipou, mas os investidores ainda monitoram de perto o noticiário de Brasília. Foi o terceiro dia da moeda americana abaixo do patamar de R$ 2,90, uma espécie de piso informal.

Isso já alimenta no mercado a expectativa quanto à retomada dos leilões de compra de divisas pelo Banco Central, suspensos desde o dia 5 de fevereiro.
Mas o volume de negócios ainda é baixo no mercado de câmbio.

As captações externas foram paralisadas nas últimas semanas por causa da alta do risco-país. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)