Novamente, as incertezas deram o tom dos mercados hoje. A semana é curta no Brasil e comporta agenda expressiva no exterior, o que deixou os investidores retraídos, resultando na trajetória de alta do dólar.

O dólar comercial fechou a segunda-feira em alta de 1,28%, a R$ 2,290. A moeda oscilou entre a mínima de R$ 2,258 e a máxima de R$ 2,291. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar negociado à vista também encerrou em R$ 2,290 (+1,33%).

As tesourarias de bancos ajustaram posições em meio a uma oferta reduzida de moeda, o que ajudou a sustentar o dólar. A ligeira alta dos juros dos títulos do Tesouro dos EUA e a queda das Bolsas em Nova York nesta véspera de divulgação de índice de preços ao produtor (PPI) nos Estados Unidos deixaram os investidores cautelosos. O Ibovespa caía 3,35% às 16h26, para 33.899 pontos. "O mercado cambial parece ter engatando tendência de alta por causa do pessimismo externo com a inflação e os juros nos EUA", disse um operador.