A taxa de câmbio abriu em queda de 0,37%, com o dólar negociado a R$ 2,04 no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), nos contratos de liquidação à vista. No mercado interbancário, ainda não foi registrada nenhuma negociação com o dólar comercial, até as 9h20.

O mercado externo mostra um tom positivo nesta manhã, com as principais bolsas européias em alta e diminuição da tensão entre Irã e Reino Unido no episódio dos 15 marinheiros britânicos presos pelo Irã.

No mercado doméstico de câmbio, o clima de tranqüilidade na cena externa e a agenda fraca de indicadores econômicos colaboram para manter a tendência de queda das cotações do dólar. Uma baixa mais expressiva do câmbio, porém, tende a ser limitada porque o dólar já está no menor nível dos últimos seis anos em relação ao real.

Os investidores acompanharão o fluxo de recursos do dia. Habitualmente, no início de cada mês, os exportadores atuam fortemente no mercado doméstico, empurrando o dólar para baixo. Segundo avaliação de especialistas, alguns anteciparam parte dessas operações no final do mês passado, quando houve picos de alta das cotações. Ainda assim, alguns exportadores podem ser obrigados a vender dólares para honrar os compromissos de início de mês, apesar das cotações baixas.