A taxa de câmbio começou o dia em queda de 0,51% no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), com o dólar negociado a R$ 2,147 nos contratos de liquidação à vista. O dia deve ser de pouca liquidez no mercado de câmbio, espremido entre o feriado e o final de semana. A maioria das operações comerciais e financeiras da semana foi realizada antecipadamente na terça e na quarta-feira.

Mas, mesmo com giro reduzido, operadores enxergam espaço para recuo das taxas hoje. Depois da piora de humor na quarta-feira, provocada pela ata do Fed (banco central americano), que alertou para o núcleo da inflação nos EUA "indesejavelmente alto", a quinta-feira trouxe notícias melhores. E permitiu uma recuperação no cenário externo, que não foi acompanhada pelos mercados domésticos devido ao feriado. O Livro Bege (sumário das condições da economia americana) divulgado ontem não mostrou alertas considerados demasiadamente preocupantes sobre a inflação, embora tenha observado crescimento no ritmo da atividade econômica. Ontem, o índice Dow Jones subiu 0,81%, para 11.947 pontos, um novo recorde histórico. E o Nasdaq subiu 1,64% para 2.346 pontos e o S&P 500 valorizou-se em 0,95% (1.362 pontos).

Outra notícia relevante para o mercado cambial é a emissão da Embraer no exterior, de US$ 300 milhões, em bônus com vencimento em 2017.