O dólar à vista começou a segunda-feira com pequena baixa. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros, a moeda norte-americana teve o primeiro negócio do dia fechado à taxa de R$ 2,258, o que representa recuo de 0,09% em relação ao fechamento de sexta-feira

Na semana passada, o câmbio mostrou otimismo e ficou praticamente descolado dos demais mercados. O comportamento foi uma reação ao resultado da operação com títulos da dívida externa, na qual o Tesouro Nacional se dispôs a comprar até US$ 4 bilhões em papéis em posse dos investidores, mas conseguiu adquirir somente US$ 1,1 bilhão

Os especialistas entenderam que quem detém o papel está confortável, o que sinaliza que a incerteza atual, embora esteja gerando volatilidade, está longe de representar uma aversão dos players a Brasil. E é com essa convicção que os negócios devem ser retomados esta segunda-feira. A certeza de que os momentos de forte oscilação de preços ainda não se esgotaram, no entanto, também prevalecem e o otimismo pode não ser suficiente para que a cotação do dólar continue recuando

As bolsas operam no negativo lá fora hoje, os juros dos títulos do Tesouro dos EUA mostram elevação e a agenda dos EUA para hoje e o restante da semana é expressiva. Além disso, no Brasil a semana deve ser de poucas transações. Amanhã os mercados fecham mais cedo para que todos possam torcer pelo Brasil que enfrenta a Croácia em seu primeiro jogo na Copa do Mundo. Na quinta-feira é feriado de Corpus Christi. Ou seja a semana é curta, mas há vários destaques e a agenda deve ser conturbada

No Brasil, o mercado de câmbio vai acompanhar, principalmente, os dados da balança comercial. Os últimos números têm mostrado recuo importante nas exportações, mas a greve da Receita Federal andou gerando distorções e as conclusões sobre a atual situação do comércio externo ainda não estão fechadas