A viagem do primeiro astronauta brasileiro ao exterior vai despertar nos jovens o interesse pela ciência. A expectativa é do coordenador de Educação do Museu de Astronomia e Ciência, Douglas Falcão. Para ele, as instituições ligadas à área devem aproveitar a oportunidade para divulgar a astronomia.

"Até então, todos os astronautas se chamavam Iuri, John etc. Agora temos um referencial próximo", lembrou Falcão. "O fato de ter uma bandeira brasileira nesse foguete é fundamental para motivar os nossos jovens a se interessar pela ciência."

Localizado no Rio de Janeiro, o Museu de Astronomia e Ciênciae recebe, em média, quatro mil visitantes por mês. Hoje (29), estão previstas uma série de atividades gratuitas paralelas ao lançamento da nave espacial que levará o astronauta Marcos Pontes para a Estação Espacial Internacional.

A partir das 18h, os visitantes do museu poderão participar de atividades de observação do céu através de telescópios e lunetas, com o acompanhamento e astrônomos que poderão explicar os fenômenos.

Às 21h30, dois especialistas participam de um debate sobre a importância da viagem espacial. A partir das 23h, o museu disponibilizará três telões para transmitir, ao vivo, a decolagem da nave russa.