A parcela da dívida interna em títulos atrelados a índices de preços atingiu, em janeiro, o maior valor da série histórica do Ministério da Fazenda, que teve início em 1999. Segundo dados divulgados hoje pelo Ministério da Fazenda, o estoque de títulos atrelados a índices de preços subiu de R$ 152,19 bilhões, em dezembro, para R$ 188,59 bilhões, o equivalente a 19,15% do total da dívida.

O estoque da dívida atrelada a índices de preços aumentou em janeiro porque o Tesouro Nacional fez uma grande emissão de títulos indexados ao IPCA (NTN-B) no valor de R$ 39,8 bilhões. A parcela de títulos atrelados a taxa Selic (sem considerar operações de swap) atingiu em janeiro 49,5%, o menor valor da série histórica, desde novembro de 2001.

A estratégia do Tesouro para a administração da dívida prevê o aumento do volume de papéis indexados a índices de preços e a redução daqueles atrelados à Selic. A parcela de títulos a vencer em 12 meses, considerada dívida de curto prazo, atingiu em janeiro o menor valor desde março de 2004. Quanto menor essa parcela, maior a confiança dos investidores na sustentabilidade da dívida.