O secretário-geral da Fifa, Urs Linsi, elogiou nesta terça-feira (03) o andamento das obras de construção e reforma nos estádios na África do Sul para a Copa do Mundo de 2010, no mesmo dia em que uma entidade em defesa do meio ambiente tenta embargar uma obra num dos locais do evento.

"O progresso é claro, salta aos olhos, estamos muito felizes pelo que aconteceu nos últimos dois meses", elogiou Linsi, durante visita ao país-sede do primeiro Mundial no continente africano. O clima entre a Fifa e os organizadores da Copa ficou estremecido no ano passado, e chegou ao auge quando o presidente da Fifa, Sepp Blatter, cobrou mais velocidade nas obras. "Eles já têm o dinheiro, agora é mãos à obra", disse o cartola.

A África do Sul vai usar dez estádios na Copa, cinco novos e cinco totalmente reformados. E como nem tudo são flores, uma entidade ambientalista entrou hoje na Justiça para embargar a construção do estádio na Cidade do Cabo, com capacidade para 68 mil espectadores e promessa de teto retrátil. "Não acredito que isso vá se transformar numa crise", disse o chefe-executivo do Comitê Organizador da Copa, Danny Jordaan.

"Resolvemos os problemas de gastos excessivos e lentidão em alguns estádios e tudo caminha em bom ritmo. A Copa do Mundo está em boas mãos, embora ainda tenhamos muito o que fazer, pois a expectativa é alta", completou o presidente do Comitê, Irvin Khoza.