O ex-presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) Airton Dipp
disse há pouco, em depoimento que ainda prossegue na CPI Mista dos Correios, que
a Secretaria de Comunicação de Governo (Secom), comandada por Luiz Gushiken,
acompanhou a licitação realizada em setembro de 2003 para contratação de novas
agências de publicidade que teve como uma das vencedoras a SMP&B, de
propriedade do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, de Belo Horizonte.
Mas Dipp disse que nunca conversou com o empresário.

Ele afirmou, também,
que a Secom coordenava a comissão que decidia sobre patrocínios dos Correios
cujo valor fosse superior a R$ 50 mil. Dipp disse não ter informações sobre
indicações do PT na formação da diretoria da ECT, no período em que presidiu a
estatal