Há duas semanas, dona Carmem, 65 anos, estava irredutível na idéia de colocar para fora de casa o marido, Roberto, 75 anos. Irritada com o comportamento "parado" dele, aposentado e sem exercer atividade econômica, ela não agüentava mais ficar com a responsabilidade de bancar a casa e ainda cuidar das tarefas domésticas.

O despejo, que seria inevitável, acabou sendo revertido e Roberto vai ajudar mais a mulher. O acordo foi fechado graças a ação de mediadores de conflitos que atuam na Regional CIC, em um projeto-piloto, iniciado há dois meses. A experiência inédita é resultado da parceria entre a Fundação de Ação Social (FAS) e o Instituto de Administração de Conflitos, Mediação e Arbitragem (IMA).

"Muitos conflitos familiares e de vizinhança se dão pela falta de diálogo e intransigência entre as pessoas. A intervenção de uma terceira pessoa, neutra, ajuda a resolver situações de crises, evitando brigas e a necessidade de se recorrer à justiça comum, que é mais demorada e tem custos", afirma a presidente da FAS, Fernanda Richa.

Desde que a parceria foi firmada em janeiro até agora, foram atendidos 16 casos, a maioria no âmbito familiar (como separação, pensão alimentícias, reconhecimento de paternidade e regularidades de visitas), e de conflitos entre vizinhos. Cinco casos já resolvidos e os demais estão em fase de negociações. O IMA faz uma triagem nos pedidos que chegam. "Nosso objetivo é ajudar as pessoas nos mais diversos casos de conflitos judiciais, atuando como um foro da justiça privada", explica o presidente do IMA, Edson Januário das Neves.

Serviço
Atendimento: Segunda a quinta-feira, com agendamento prévio.
Telefone: (41) 3212 1525 ou 3212 1544