Tomou posse na tarde desta quarta-feira (13) a nova desembargadora do Tribunal de Justiça do Paraná, Lenice Bodstein (foto), que ocupa a vaga aberta com a aposentadoria compulsória do desembargador Celso Rotoli de Macedo. “A desembargadora Lenice notabilizou-se na magistratura pela atuação nas varas de família e por sua dedicação à infância e juventude. Essa também é uma preocupação desse Tribunal. Desde fevereiro, instalamos varas de família em Rolândia e em Cornélio Procópio e, em breve, instalaremos outras em São José dos Pinhais e em Almirante Tamandaré”, disse o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargador Miguel Kfouri Neto.

“A desembargadora Lenice Bodstein substitui nesse Tribunal o desembargador Celso Rotoli de Macedo, que assinalou seu nome de forma indelével na nossa história ao exercer a Presidência desse Tribunal de Justiça”, afirmou o presidente Miguel Kfouri Neto. Ele homenageou a memória do desembargador Wilson Reback, falecido nesta semana. “Nesse momento de alegria, não podemos afastar nosso pensamento daqueles que ajudaram a construir a história desse Tribunal”, disse.

Lenice Bodstein iniciou seu discurso fazendo agradecimentos. “Esta é hora de emoção, de alegria, de júbilo e de agradecimento. Renovo a Vossas Excelências minha pretensão de bem servir aos interesses da Justiça no cargo de desembargadora, como fiel escudeira da ética, da honestidade e da moral”. Ela falou da árdua tarefa desempenhada e dos desgastes do magistrado “É preciso que se criem institutos, mecanismos e instituições para resolver os desgastes concentrados no magistrado. É preciso pensar e reinventar a função social e o alcance de metas. Mais do que tudo, é preciso aparelhar o mecanismo legal de forma que o cidadão tenha no seu Judiciário o aparato que merece”, disse ela.

A mesa de autoridades da sessão solene de posse da desembargadora foi composta, além do presidente Miguel Kfouri Neto, pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral, Irajá Prestes Mattar; pela vice-presidente do Tribunal regional do Trabalho, Rosemarie Diedrich Pimpão; pelo procurador Lineu Kirchner, representando o Ministério Público Estadual; pelo procurador geral do Paraná, Ivan Bonilha, representando o governador Beto Richa; pela procuradora do município de Curitiba, Claudine Camargo Bettes, representando o prefeito Luciano Ducci; pelo desembargador Adalberto Xisto Pereira, representando a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB); Gil Guerra, presidente da Associação dos Magistrados do Paraná (Amapar); pelo deputado Reinhold Stephanes Júnior, representando o Legislativo Estadual; e pelo vereador Paulo Salamuni, representando a Câmara de Vereadores.

Trajetória – Lenice Bodstein é natural do Rio de Janeiro e nasceu em 26 de abril de 1953. Formou-se em Direito, em 1977, pela Universidade Federal do Paraná. Participou do curso de especialização em Direito de Família pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná e do curso de especialização em Direito Constitucional pela Escola da Magistratura do Paraná. Ex-funcionária do primeiro quadro de servidores do extinto Tribunal de Alçada do Paraná por 13 anos. Ingressou na Magistratura em 1986, com aprovação em oitavo lugar, assumindo o cargo de Juíza Substituta de Direito na comarca de Wenceslau Braz. Também exerceu a magistratura nas comarcas de Ibaiti, Tomazina, Siqueira Campos, Curiúva, Rio Branco do Sul, Rebouças, Toledo, Cambé, Cascavel e Curitiba. Em 2004 foi nomeada Juíza Substituta em segundo grau do Tribunal de Justiça, designada para 18ª Câmara Cível. Foi promovida, por merecimento, ao cargo de desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná no dia 25 de março de 2011.