O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do Paraná interditou, no fim da tarde desta segunda-feira,  a ponte sobre o Rio Iguaçu em São Mateus do Sul, a 150 quilômetros de Curitiba.

A estrada, conhecida como Rodovia do Xisto, é uma das ligações de Curitiba com a região sul do Paraná e com Santa Catarina. O desvio, que passa por Porto Amazonas, Palmeira e São João do Triunfo, aumenta em cerca de 55 quilômetros o percurso.

"A ponte pode oferecer grandes riscos, com a possibilidade até de desabar. Por isso tomamos essa providência de interditar", justificou o secretário dos Transportes, Waldir Pugliesi. Pela rodovia passam diariamente cerca de 5.500 automóveis e caminhões. O aterro de uma das cabeceiras da ponte cedeu, o que tira a sustentação do asfalto. O problema ficou maior em razão da chuva de hoje.

A ponte é em uma das rodovias federais repassadas à administração do Estado por meio da Medida Provisória 82, editada em dezembro de 2002. Em maio de 2003 o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vetou a conversão da MP em lei. Por isso, a Procuradoria Geral do Estado do Paraná entende que os efeitos da medida provisória tornaram-se nulos, voltando as rodovias à alçada federal. Assim, a manutenção seria responsabilidade do Departamento Nacional de Infra-Estrutura e Transportes (Dnit).

O Dnit não tem esse entendimento, alegando não poder interferir nessas rodovias sob pena de estar agindo contra a legislação.

Recuperação

Em ofício ao Ministério dos Transportes, o governo do Paraná se propõe a fazer a licitação para recuperação dessa e de outras pontes em estado precário, mediante ressarcimento por parte da União. O assunto deve ser discutido na quinta-feira (11) em encontro do secretário com o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento. Também está em Brasília analisando o mesmo assunto o coordenador do Dnit no Paraná, David Gouvêa.