Os 13 deputados citados no relatório das CPMIs (Comissões Parlamentares Mistas de Inquérito) dos Correios e da Compra de Votos têm até as 18 horas desta segunda-feira (17) para renunciar ao mandato e evitar a possível cassação.

Nesse prazo, serão instaurados os processos disciplinares no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara. A partir daí, o Conselho tem 90 dias para instruir o processo contra cada parlamentar, votar o parecer do relator e encaminhar a decisão ao plenário da Câmara.

O deputado Pauderney Avelino (PFL-AM) disse que cerca de oito dos 13 deputados podem renunciar ao mandato. "Acho que vai ficar para o ano que vem, mas em nenhum momento terminará em pizza. A maioria vai renunciar e os outros devem ser cassados. Acho que dificilmente alguém escapará".

O relator do processo contra o deputado José Dirceu (PT-S) no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, deputado Júlio Delgado (PSB-MG), deve apresentar seu parecer sobre o caso no final da tarde de hoje. Na terça-feira, deverão ser feitas a leitura do relatório e a votação do parecer.

Se algum parlamentar pedir para analisar o documento, a votação poderá passar para quinta-feira (20). Caso o parecer do relator seja aprovado, o processo vai para a Mesa da Câmara, que tem duas sessões para incluí-lo na pauta e votá-lo. Se isso não acontecer, a pauta é trancada. Se o parecer não for aprovado pelos membros do conselho, o processo é arquivado.