O delegado da Polícia Federal Pedro Ribeiro Alves recusou-se a divulgar o teor do depoimento tomado hoje, em Curitiba, do advogado Roberto Bertholdo. Alves alegou que a investigação está sujeita ao sigilo judicial. Ele nem ao menos quis adiantar se sua vinda a Curitiba tem como base as informações divulgadas no fim de semana pela revista Veja, na qual foram divulgados trechos de conversa de Bertholdo, em que afirmava ter participado de um esquema de corrupção.

O advogado está preso desde novembro acusado de lavagem de dinheiro, tráfico de influência, compra de sentença judicial e grampo ilegal contra um juiz. O depoimento demorou aproximadamente 3 horas e meia e foi tomado no Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), no bairro Boqueirão, em Curitiba, onde o advogado está detido. A Ordem dos Advogados do Brasil, regional do Paraná, informou que ele está com a inscrição na entidade suspensa desde dezembro do ano passado.