A delegação americana virá com escolta especial para a disputa dos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio. A informação foi dada nesta segunda-feira pelo diretor de alta performance do Comitê Olímpico dos EUA, Steve Roush, que inspecionou o Estádio João Havelange, na zona norte da cidade.

"Entre 10 e 12 homens vão acompanhar a delegação, num trabalho conjunto com as forças de seguranças do Rio. A escolta vai dar suporte na saída dos locais de competições e em eventos sociais" disse ele, afirmando que a medida é usada em grandes torneios esportivos, como as Olimpíadas e os Jogos de Inverno.

"Reforçar a segurança é política padrão no Estados Unidos. A gente sempre procura sair em grupo e o nosso comitê vai querer saber das autoridades quais são os lugares recomendados para visitação. Mas cada americano vai fazer o que quiser", declarou Roush.

Ao ser indagado sobre a preocupação com a violência no Rio, ele respondeu: "Já vim quatro vezes fazer inspeção, andei bastante e não vi nada que me preocupe. Porém, vou fazer os trajetos que forem indicados".

Secretário do Comitê Organizador do Pan 2007, Carlos Roberto Osório afirmou que a escolta policial é comum entre as grandes delegações. "A Polícia Federal acompanhou os atletas brasileiros na Vila Olímpica de Atenas (em 2004) e na Vila Pan-Americana de Santo Domingo (em 2003). Mas, é claro, que a segurança é de responsabilidade local".

Roush disse estar surpreso com o avanço das obras para a competição. "Estão rápidas como eu esperava. A equipe americana será a mais forte já enviada à disputa de um Pan".

Prazo

Para acelerar as obras, a fim de entregar o Estádio João Havelange pronto em fevereiro de 2007, como programado, a Riourbe, empresa municipal de urbanização, informou que, desde agosto, operários trabalham 24 horas, em um ou dois dias na semana, fazendo serviços de instalação, revestimento e sondagem.